semana bíblica 2018: a ação divina em defesa da Vida – Livro da Sabedoria

semana bíblica 2018: a ação divina em defesa da Vida – Livro da Sabedoria

ORAÇÃO INICIAL PARA TODOS OS DIAS

Rezar a Oração para obter de Deus o dom da Sabedoria.

Deus dos pais e Senhor de misericórdia, tudo criaste com a tua palavra! Com a tua sabedoria formaste o homem para dominar as criaturas que fizeste, para governar o mundo com santidade e justiça, e exercer o julgamento com retidão de alma.

Concede-me a sabedoria, que está entronizada ao teu lado, e não me excluas do número de teus filhos. Eu sou teu servo, filho de tua serva, homem fraco e de vida breve, incapaz de compreender a justiça e as leis.

Mesmo que alguém fosse o mais perfeito dos homens, se lhe faltasse a sabedoria que provém de ti, ele de nada valeria.

Tu me escolheste como rei do teu povo e juiz dos teus filhos e filhas.

Tu me mandaste construir um templo sobre o teu santo monte, um altar na cidade onde fixaste a tua tenda, cópia da tenda santa que tinhas preparado desde o princípio.

Contigo está a sabedoria, que conhece as tuas obras e que estava presente quando criaste o mundo.

Ela sabe o que é agradável aos teus olhos e o que é conforme aos teus mandamentos.

 Rezar um Pai Nosso e Três Ave Maria

 

ORAÇÃO FINAL PARA TODOS OS DIAS.

 

Porque ela tudo sabe e tudo compreende. Ela me guiará prudentemente em minhas ações e me protegerá com a glória dela.

Assim, minhas obras serão agradáveis a ti, eu poderei governar com a justiça o teu povo, e serei digno do trono de meu pai.

Quem pode conhecer a vontade de Deus? Quem pode imaginar o que o Senhor deseja?

Os pensamentos dos mortais são tímidos e nossos raciocínios são falíveis, porque um corpo corruptível torna pesada a alma, e a tenda de terra oprime a mente pensativa.

Com muito custo, podemos conhecer o que está na terra e com dificuldade encontramos o que está ao alcance da mão.

Mas quem poderá investigar o que está no céu? Quem poderá conhecer o teu projeto, se tu não lhe deres sabedoria, enviando do alto o teu espírito santo?

Somente assim foram endireitados todos os caminhos de quem vive sobre a terra.

Somente assim os homens aprenderam aquilo que te agrada.

Eles foram salvos por meio da sabedoria.

 

1° Círculo

A Origem da Sabedoria: Ela nasce em defesa da vida

 

ACOLHIDA

        Colocar o pessoal á vontade, preparar o ambiente com a colcha de retalho e nela a Bíblia, vela acesa e algum símbolo da sabedoria do povo. Invocar a luz do Espírito Santo.

 

Oração inicial para todos os dias

 

ANIMADOR: A origem da sabedoria se perde no tempo. Ela é como uma fonte muito antiga, cuja água é sempre nova. É como o espelho: nele todos olham e se reconhecem. Antes de Abraão ser chamado, já existia a sabedoria, pois já existia o trabalho cotidiano, a preocupação com a saúde, a educação das crianças, a cultura popular os costumes, a lenta descoberta das leis da natureza e dos valores da vida, os remédios caseiros, os provérbios, as rezas, o culto, as celebrações; numa palavra, já existia a luta em defesa da vida. A sabedoria é o recolhimento de todas estas experiências humanas em defesa da vida.

LEITOR 1: Ao longo da história, a sabedoria do povo foi nascendo da luta pela sobrevivência e da atenta observação  da vida nos seus vários setores: 1-) na família em casa; 2-) no trabalho do campo e na natureza; 3-) na praça da cidade junto do portão, onde ficava o tribunal da justiça e onde se fazia a feira; 4-) na sociedade com seu governo e suas organizações, cujo centro era o palácio do rei; 5-) na região com suas praticas e ritos que permeavam a vida e convergiam para os pequenos santuários espalhados pelo país. É nestes cinco ambientes que estavam os focos geradores, onde nascia se concentrava e se transmitia o esforço da sabedoria:

ANIMADOR: Agora explico estes cinco ambientes onde nascia, concentrava e se transmitia o esforço da sabedoria:

MULHERES: O primeiro é a Casa, ambiente da família comunidade, o clã, a tribo onde se cuida do corpo e da saúde, se promove a educação, tudo envolvido pelo amor.

HOMENS: O segundo é o Campo, ambiente do Trabalho onde se aprende a profissão, faz-se o plantio, cuida dos animais, tudo em torno das estações e condições do tempo e da natureza.

TODOS: O terceiro é o Portão, ambiente da justiça, das leis, do comércio, entrada para a cidade e a praça onde se compram coisas na feira, e se promove as rodas de conversas, local do processo da construção da sabedoria partilhada.

LEITOR 1: O quarto é o Palácio, ambiente do governo, da organização, da corte real, onde há a avaliação das leis e o exército faz apaziguar os conflitos. O quinto é o Santuário, ambiente da religião, das celebrações, do culto a Deus através das orações, festas, romarias e cumprimento das promessas.

LEITOR 2: Nestes cinco ambientes – setores da vida- , nasciam as gotas dos provérbios como expressão das descobertas feitas nas múltiplas formas da luta pela sobrevivência, a saber: na produção de alimentos, na descoberta dos remédios, no confronto constante com a natureza, na educação dos filhos, na transmissão dos valores, na convivência social, na organização do trabalho, nos mutirões, na compra e venda dos produtos, na luta pela justiça contra a exploração e a corrupção, no governo do povo, na organização da aldeia, na pratica da religião.

TODOS: Aos poucos, os provérbios foram evoluindo e se juntando para formar o grande rio da sabedoria que percorre a Bíblia e a vida, de ponta a ponta, até hoje.

ANIMADOR: Resumindo, podemos dizer que a sabedoria, na sua origem, nasce da preocupação básica de todo ser humano com a preservação e a defesa da vida.

LEITOR 3: Ela, a Sabedoria, apresenta as seguintes características:

TODOS: Ajuda o povo a sobreviver e a não se deixar derrubar pelos problemas; Faz conhecer a natureza e suas leis, para que sirvam à vida; Capacita a pessoa para a vida: não cria dependência, mas faz descobrir as coisas essenciais para viver em paz; Organiza a vida do povo: o ato criador continuado que defende a vida contra o caos ameaçador;

LEITOR 1: É uma construção coletiva: reflete a experiência do grupo; é a voz do povo; É realista: fruto do bom senso e do respeito ao próprio povo;

LEITOR 2: É crítica: ensina a desconfiar e a ter consciência certa; É ecumênica, internacional e interconfessional na sua origem;

LEITOR 3: É conservadora: conserva o que é bom para a vida, e rejeita o que é nocivo.

LEITOR 1: Nestas características, transparece certa ambivalência (dois sentidos) que marca a natureza da Sabedoria, desde a sua raiz: de um lado, existe nela o desejo de conhecer as coisas por experiência, de nomeá-las, de organiza-las e de controla-las em defesa da vida, desejo de autonomia e de liberdade de quem não se deixa dominar, nem quer ser dominado.

LEITOR 2: É um único e mesmo desejo com esses aspectos ou vertentes aparentemente contraditórios entre si, que geram uma tensão permanente no interior da própria sabedoria. De um lado: recolher, definir, conservar, proteger, defender a vida; de outro lado: descobrir, abrir, soltar, avançar, não se deixar enquadrar, libertar.

LEITOR 1: Para não nos deixarmos enquadrar pelas dominações daqueles que querem usar pessoas para seus próprios interesses, temos que ter em mente que a vontade de Deus, expressa na Bíblia, nos alerta para o caminho da verdadeira liberdade.

TODOS: A vontade de Deus é que todos nós tenhamos vida e vida em abundância (João 10,10).

ANIMADOR: Vamos cantar juntos evocando na nossa voz que Deus é o pastor que nos conduz e nos chama para sermos fermento, sal e luz para o mundo através da Sabedoria Divina que nos conduz à liberdade. Vamos cantar juntos. E todos nós respondemos: Eis-me aqui Senhor

TODOS: Eis-me aqui Senhor! Eis-me aqui Senhor! Pra fazer Tua Vontade pra viver do Teu Amor Pra fazer Tua Vontade pra viver do Teu amor Eis-me aqui Senhor!

– O Senhor é o Pastor que me conduz Por caminhos nunca vistos me enviou Sou chamado a ser fermento sal e luz E por isso respondi: aqui estou!

CONSTRUÇÃO COMUNITÁRIA DA SABEDORIA

ANIMADOR: Para que haja verdadeira construção comunitária da Sabedoria, na partilha fraterna, acreditando que cada um de nós pode colocar uma palavra nas frases que constroem a sabedoria popular, temos que superar alguns preconceitos.

LEITOR 2: Por exemplo, os remédios caseiros ensinados pela Avó diante dos remédios novos das farmácias. Há muita sabedoria nas receitas antigas. Precisamos revalorizar os remédios caseiros. Hoje, temos também a medicina homeopática (das plantas), que devemos valorizar.

LEITOR 3: Outro exemplo pode ser a vida na comunidade cristã. Há pessoas que já tem anos na comunidade e que não aceitam mudanças. Por outro lado existem aquelas que entram na comunidade e querem mudar tudo.

ANIMADOR: Na verdade quem já está há muito tempo na comunidade como as pessoas que chegaram há pouco tempo, devem estar motivados à mútua ajuda. É o que diz a letra do canto que vamos entoar juntos:

TODOS: Sim, eu quero que a luz de Deus que um dia em mim brilhou jamais  se esconda e não se apague em mim  o seu fulgor.  Sim, eu quero que o meu amor  ajude o meu irmão a caminhar  guiado por tua mão, em tua lei,  em tua luz, Senhor!

ANIMADOR: A verdadeira sabedoria respeita a tradição, mas não desrespeita ou fica indiferente aos apelos que os desafios presentes no mundo atual.

LEITOR 1: As respostas para enfrentar estes desafios podem surgir dos jovens ou das pessoas adultas ou idosas que, recentemente inseridos na comunidade e, inspiradas pelo Espírito Santo, podem propor novas formas de atividades para o enfrentamento dos problemas de hoje.

LEITOR 2: Também há, infelizmente, padres que desmerecem o passado e querem mudar tudo, ou aqueles que não abrem mão da tradição. Os que querem mudar tudo consideram que o que foi feito antes deles é errado. Aqueles que não querem mudar nada consideram que só eles têm sabedoria, dizendo que ”Sempre foi assim!”.

ANIMADOR: Estas duas ideias opostas, esta ambivalência (dois sentidos opostos) que marcam a evolução da tradição sapiencial ao longo da história do povo de Deus é uma chave importante para avaliarmos o tema do Mês da Bíblia deste ano de 2018: “A Sabedoria em defesa da vida”, e o seu lema “A Sabedoria é um espírito amigo de ser humano”.

Um primeiro contato com a Sabedoria (1,1-15)

HOMENS: Vamos conversar sobre a Sabedoria. Hoje existe muito conhecimento que é ensinado e divulgado, de muitas maneiras, pelas escolas e pelos meios de comunicação. Mas existe também uma sabedoria no povo. Hoje nós também temos muitos contatos com esta Sabedoria.

MULHERES: Em vários noticiários, aparecem especialistas dando opiniões sobre tudo em nossa sociedade. Quem são as pessoas que, hoje, na TV, são apresentadas como sábias e modelos de sabedoria para todos?

LEITOR 2: Alguém pode lembrar alguns nomes?

Deixar que as pessoas falem

ANIMADOR: Agora vamos fazer algumas perguntas que nos ajudem a refletir. Após cada pergunta algumas pessoas podem usar a palavra e expor a sua opinião. A primeira é esta:

LEITOR 3: Você concorda com tudo o que aparece na TV?

LEITOR 1: Para você, quem é realmente sábio? Por que você considera esta pessoa como sábia?

LEITOR 2: Você já encontrou alguma vez uma pessoa da qual você disse: “Essa pessoa é realmente sábia!” Quem era essa pessoa sábia? Quais as qualidades que possuía?

Iluminar a nossa sabedoria com a luz da Palavra de Deus.

ANIMADOR: Vamos ouvir um texto que nos coloca em contato com a Sabedoria de Deus e que traz um conselho sobre o que fazer para adquirir a sabedoria.

UM JOVEM PROCLAMA a Leitura lenta e atenta do texto =  Sabedoria 1,1-15

  • Momento de silêncio – após o grupo pode partilhar suas opiniões motivadas pelas perguntas abaixo. Após cada pergunta deixar que as pessoas se manifestem.

 

Descobrir juntos a mensagem do texto para nós hoje:

LEITOR 1– O que mais chamou a sua atenção no texto? Por quê?

LEITOR 2 – Conforme este texto, de que maneira a sabedoria se faz presente na vida de uma pessoa?

LEITOR 3: – Conforme o texto, quais as condições para que também nós possamos receber a sabedoria?

ANIMADOR: Agora vamos olhar mais pertinho o texto do Livro da Sabedoria que ouvimos e que já expressamos a nossa opinião 

Chave de leitura para o texto: Sabedoria 1,1-15

LEITOR 2: Todo texto bíblico pode ter o que chamamos de chave de leitura que ajuda na compreensão. O texto do livro da Sabedoria que ouvimos apresenta duas chaves gerais que são:

HOMENS: A Sabedoria está com os que praticam o bem.

MULHERES: A sabedoria também está com as pessoas que fogem daquelas que praticam o mal.

ANIMADOR: É importante perceber que, no texto que ouvimos as expressões justiça, Deus, Espírito do Senhor e Sabedoria, aparecem quase como sinônimos. Vamos ver agora com carinho a divisão deste texto por versículos

Divisão do texto

LEITOR 2:  Os versículos 1 e 2 dizem que A Sabedoria se deixa encontrar pelos que a procuram. De 3 a 5 afirma que a Sabedoria foge dos que praticam o mal.

LEITOR 3: De forma muito poética os versículos 6 e 7 afirmam que a Sabedoria é um espírito amigo dos homens e enche o Universo inteiro.

TODOS: É importante que todos nós tenhamos consciência do que os versículos 8 a 11 afirmam: Ninguém consegue esconder-se, pois ela vê tudo e ouve tudo. E acrescentam os versículos 12 a 14 que Deus criou tudo para a vida. A Sabedoria é imortal.

ANIMADOR: Que tal agora fazermos uma explicação bem clara do texto do Livro da Sabedoria que ouvimos?

HOMENS: O fato de o autor usar várias palavras diferentes para designar a mesma sabedoria mostra que, para ele, a sabedoria é maior do que o sentido de cada uma destas palavras: Justiça (1,1), Sabedoria (1,4), Espírito Santo (1,5), Espírito do Senhor (1,7).

MULHERES: A fé é a porta por onde a Sabedoria entra em nós, pois o texto que ouvimos diz que o Senhor “se deixa encontrar por aqueles que não se recusam em crer Nele” (Sb 1,2). Diz ainda que “a Sabedoria é um espírito amigo dos homens” (Sb 1,6), é fruto da ação do “Espírito Santo que educa” (Sb 1,5). Diz que “o Espírito do Senhor enche o universo e concede consistência a todas as coisas e tem conhecimento de tudo que se diz” (Sb 1,7).

ANIMADOR: Esta maneira de falar da sabedoria mostra que, para o autor, a Sabedoria Divina não se deixa definir nem compreender plenamente. Ela é um mistério que ultrapassa tudo.

TODOS: No fundo, o autor está dizendo: não tente querer abarcar e controlar a sabedoria com a sua inteligência humana. Ela não se deixa dominar nem aprisionar.

MULHERES: Diante dela, a única maneira correta é uma atitude humilde de admiração contemplativa, de abertura acolhedora que se deixa envolver por ela.

HOMENS: A pessoa encontra na sabedoria um reflexo do mais profundo de si mesma. A Sabedoria é “um espirito amigo dos homens” (Sb 1,6).

ANIMADOR: Terminamos este encontro fazendo 3 ou 4 preces espontâneas, depois a oração do Pai Nosso e a proclamação do Salmo 131(130) e por fim a oração na página 06

TODOS: Pai nosso….

TODOS: SENHOR, o meu coração não é orgulhoso, nem os meus olhos são altivos; não corro atrás de grandezas ou de coisas superiores a mim. 2*Pelo contrário, estou sossegado e tranquilo, como criança saciada ao colo da mãe; a minha alma é como uma criança saciada! Israel, espera no Senhor, desde agora e para sempre!

Oração final para todo os dias

 

2° Círculo    Dois temas:       1 – Prática da Justiça      2- O exercício do poder com a sabedoria

ACOLHIDA

Preparar o ambiente com a colcha de retalho, nela colocar a Bíblia, vela acesa e algum símbolo da sabedoria do povo. Invocar a Luz do Espírito Santo.

Oração inicial para todos os dias

ANIMADOR: Hoje vamos refletir dois temas. O primeiro trata sobre a situação das pessoas que buscam ser honestas e justas. O segundo falará sobre o comportamento das pessoas que exercem o poder. Embora os dois temas estejam no mesmo círculo, eles podem ser refletidos em dias diferentes.

      1º TEMA: A Sabedoria em defesa  dos que praticam a justiça Sabedoria 5,1-15

LEITOR 1: Pessoas que buscam ser honestas e praticam a justiça, muitas vezes são criticadas porque o testemunho delas incomoda e desagrada aos que levam uma vida fútil, cheia de intriga, injustiça e corrupção.

LEITOR 2: Para saber se é verdade ou não que há quem critique pessoas que buscam ser honestas, podemos responder às perguntas abaixo. A cada pergunta algumas pessoas podem expor sua opinião.

LEITOR 3: Você já foi criticado ou sofreu calúnias simplesmente pelo fato de levar uma vida honesta e justa?

TODOS: O texto da Bíblia diz que muitos injustos, que antes criticavam os justos, agora reconhecem o valor dos que levavam uma vida honesta. Por isso, muitos injustos se converteram diante do testemunho dos justos.

LEITOR 1: Você conhece fatos assim?

LEITOR 2: Por que as pessoas que praticam a justiça são perseguidas? Quem as persegue?

       Iluminar a realidade com a luz da Palavra de Deus

LEITOR 1: Vamos ouvir um texto que descreve as dificuldades dos que buscam viver com justiça e sabedoria. Muitos deles foram perseguidos, alguns até a morte. Mas eles não desistiram. A morte prematura do justo é uma denúncia da perseguição injusta e criminosa.

UMA MULHER PROCLAMA a Leitura lenta e atenta ao texto: Sabedoria 5,1-15

Após a leitura Momento de silêncio depois, continua abaixo:

Descobrir juntos a mensagem do texto para nós hoje:

 Após cada pergunta deixar que algumas pessoas exponham a sua opinião

LEITOR 1: O que mais chamou a sua atenção no texto? Por quê? LEITOR 2: Quais são, neste texto, as qualidades da sabedoria que transparecem no testemunho das pessoas justas?

LEITOR 3: E eu e você, qual o testemunho que nossas vidas deixam para os outros?

             Chave de Leitura para o texto: Sabedoria 5,1-15

ANIMADOR: Vamos apresentar agora duas chaves gerais de leitura do texto. Explicando: a chave de leitura é uma forma de abrir a compreensão daquilo que o texto diz. Vamos ver então estas chaves:

LEITOR 1: O texto faz uma longa comparação entre a vida dos justos e dos injustos. Assim, o texto ajuda a descobrir e a discernir os critérios de uma vida justa e sábia.

 Divisão do texto

LEITOR 2: O versículo 1 diz que o justo perseguido e desprezado pelos injustos não tem medo nem se incomoda.

TODOS: É importante ouvir o que falam os versículos 2 a 4: Diante da salvação inesperada do justo, o injusto descobre o seu próprio erro.

HOMENS: O versículo 5 apresenta a pergunta do injusto: Por que o justo é considerado filho de Deus?

MULHERES: Então os versículos 6 e 7 concluem com a afirmação dos injustos: Nós erramos!

TODOS: Nova pergunta do injusto: De que nos adiantaram o orgulho e a riqueza?

ANIMADOR: Os versículos 9 a 12 fazem comparações bonitas para descrever a fugacidade (que passa rápido) da riqueza e da grandeza. E os versículos 13  a 15 apresentam comparações para a vida do injusto e do justo.

Resumo do texto

ANIMADOR: Que tal agora uma explicação mais fácil do texto do livro da Sabedoria que ouvimos?

TODOS: O texto chama a atenção para as duas atitudes opostas entre si que aparecem na vida: de um lado, a vida dos justos que são humilhados, que apanham e sofrem (Sb 5,1) e, do outro lado, a vida dos opressores que são ricos, orgulhosos e arrogantes (Sb 5,8).

HOMENS: Estes últimos riem do justo e o desprezam, achando que a vida deles é loucura e sua morte prematura uma vergonha (Sb 5,4).

MULHERES: Na realidade, eles vão descobrir que a aparente brevidade da vida do justo é a vida para sempre (Sb 5,15).

TODOS: E que a esperança de vida do justo é a vida longa e que a dos injustos “é fugaz como lembrança do hóspede de um dia só” (Sb 5,14).

ANIMADOR: É muito forte a descoberta quase traumática dos injustos: TODOS: O que parecia gloria não passa de um engano. “Tudo passou como sombra e como notícia fugaz”- que logo se esquece (Sb 5,9). Não ficou nada! Comparações bonitas e fortes: navio no mar não deixa rastro; passarinho que voa e flecha disparada pelo arco não deixam nenhum sinal atrás de si (Sb 5,10-12).

ANIMADOR: A conclusão dos injustos é exatamente o contrário da aparência enganosa de grandeza em que viviam antes (Sb 5,6.14).

2º TEMA A Sabedoria alerta os que  exercem o poder Sabedoria 6,1-11

ANIMADOR: O texto da Bíblia que vamos ler e meditar neste 2º tema fala das pessoas que exercem o poder na sociedade. Por isso, vamos conversar sobre os que governam o país e os que coordenam as comunidades, as paróquias e as dioceses e sobre a maneira como eles exercem o poder e a coordenação.

deixar algumas pessoas responderem após cada pergunta

LEITOR 1: Toda pessoa coordena ou deveria coordenar a sua própria vida, as suas coisas, seu dinheiro, o armário das roupas. Os pais ou os cuidadores das crianças, adolescentes e jovens devem coordenar a família. Patrões devem coordenar os funcionários. Enfim, todas as pessoas coordenam algo. Qual é para você a maior dificuldade que encontra na tarefa da coordenação?

LEITOR 2: Como acontece a coordenação na comunidade que participamos?

LEITOR 3: A coordenação que o padre exerce na nossa paróquia  dá espaço para a participação dos leigos? Independente de respondermos  “sim ou não”, o que podemos fazer para melhorar?

LEITOR 1: A nossa paróquia oferece cursos de atualização e de coordenação para ajudar as pessoas a serem participantes da evangelização?  Se sim, de quais encontros você já participou e qual assunto achou mais interessante? Estes encontros de formação estão dando resultados?

OLHANDO PARA ALÉM DE NÓS

ANIMADOR: Os governos gastam muito dinheiro com propaganda para divulgar nos jornais, na TV, rádio e Internet as obras que estão realizando. Uma parte deste dinheiro poderia ser para convocar a população para participar das audiências públicas e dos conselhos municipais da saúde, educação, segurança, etc. Você já ouviu na TV, Rádio ou Internet uma convocação para o povo participar dos encontros nos postos de saúde, ou nos conselhos de segurança ou da educação? Uma pergunta para todos pensarem: Será que alguns governantes consideram a participação popular como inconveniente?

Iluminar nossa realidade com a Luz da Palavra de Deus

LEITOR 1: Vamos ouvir um texto do livro da Sabedoria, no qual transparece a responsabilidade das pessoas que exercem o poder ou ocupam algum cargo de coordenação.

UM HOMEM PROCLAMA a Leitura lenta e atenta do texto:  Sabedoria 6,1-11.

                                  (após a leitura um Momento de silêncio).

Descobrir juntos a mensagem do texto para nós hoje

deixar algumas pessoas responderem após cada pergunta

LEITOR 2: O que mais chamou a sua atenção no texto? Por quê? LEITOR 3:  Quais os alertas que o texto dá aos que exercem o poder?

LEITOR 1: Qual a mensagem que o texto traz para nós, hoje, na família, na comunidade, na paróquia, na diocese, no país?

Chave de leitura para o texto: Sabedoria 6,1-11

ANIMADOR: Duas chaves gerais do texto que escutamos. Explicando: a chave de leitura é uma forma de abrir a compreensão daquilo que o texto diz. Vamos ver então estas chaves:

LEITOR 1: Primeira chave: O texto acentua a grande responsabilidade dos que exercem o poder. Segunda chave: Deus aparece no texto como modelo de um governante justo.

ANIMADOR: Agora que sabemos quais são as duas chaves, vamos ver como está o  texto é dividido por assunto:

LEITOR 2: Os versículos 1 e 2 fazem um forte apelo aos grandes para escutar. Já o versículo 3 faz a afirmação central do texto: O poder dos governantes vem de Deus e Ele os examinará.

LEITOR 3:  O versículo 4 traz a grande conclusão: apesar de serem ministros de Deus, eles não exercem bem o poder. Haverá um julgamento severo para os poderosos e perdão para os pequenos e humildes, afirma os versículos 5 e 6. O versículo 7 lembra que        Deus é justo governante.

TODOS: Diante de Deus todos são iguais.

LEITOR 1: Porém, reafirma nos versículos 8 e 9 o julgamento severo para os poderosos e o perdão para os pequenos. O versículo 10 esclarece que serão santos os que observam a vontade de Deus.

ANIMADOR: O versículo 11 faz um pedido:

TODOS: Que todos escutem a instrução que o autor acaba de dar neste texto.

ANIMADOR: Que tal agora olhar o texto de uma forma esclarecedora? Que as mulheres comecem a leitura abaixo.

MULHERES: O texto acentua fortemente a responsabilidade dos que exercem o poder: “Escutem reis, procurem compreender. Aprendam governantes de toda terra. Prestem atenção, vocês que dominam os povos”  (Sb 6,1-2). O autor denuncia os que se orgulham pelo fato de terem um número maior de súditos que os outros (Sb 6,2).

HOMENS: É como se o poder deles fosse! Ele os critica com dois argumentos: O primeiro argumento diz que o poder não é deles, mas vem da graça divina e eles deverão prestar conta a Deus (Sb 6,3); O segundo argumento firma que, apesar de serem ministros de Deus, eles não imitam a ação divina, pois se deixam corromper, não julgam com retidão, não observam a lei, nem procedem conforme a vontade do Criador (Sb 6,4).

TODOS: Por isso, terão um julgamento terrível, pois Deus não se impressiona com a grandeza dos governantes (Sb 6,7). Para Deus, todos são iguais, tanto o pequeno como o grande, e a sua providência é igual para todos (Sb 6,7). “Os pequenos serão perdoados com misericórdia, mas os poderosos serão examinados com rigor” (Sb 6,9). Os que observam a vontade de Deus serão declarados Santos e terão quem os defenda (SB 6,10).

ANIMADOR: Terminamos este encontro com preces espontâneas (3 ou 4 preces) depois a oração do Pai Nosso e a proclamação do Salmo 131(130), concluindo com a oração na página 06

TODOS: Pai nosso….

TODOS: SENHOR, o meu coração não é orgulhoso, nem os meus olhos são altivos; não corro atrás de grandezas ou de coisas superiores a mim. 2*Pelo contrário, estou sossegado e tranquilo, como criança saciada ao colo da mãe; a minha alma é como uma criança saciada!
3Israel, espera no Senhor, desde agora e para sempre!

Oração final para todos os dias

 3° Círculo

1º TEMA: O bonito testemunho  de vida de um sábio   (Sabedoria 7,1-14)

2º TEMA: O rosto divino da Sabedoria (7, 22 até 8, 1)

ACOLHIDA

Preparar o ambiente com a colcha de retalho e nela colocar a Bíblia, vela acesa e alguns símbolos da sabedoria do povo. Invocar a Luz do Espírito Santo.

Oração inicial para todos os dias

ANIMADOR: Hoje vamos refletir dois temas. O primeiro tema trata sobre o bonito testemunho de vida de um sábio (Livro da Sabedoria 7,1-14). O segundo tema fala sobre o rosto da sabedoria (Livro da Sabedoria 7,22 até 8,1).

MULHERES: O primeiro tema do livro de Sabedoria que vamos refletir traz o testemunho de vida de um sábio que conta com simplicidade como ele recebeu e como ele vive a sabedoria. Um testemunho assim serve de conselho para os que escutam.

TODOS: Por isso, hoje vamos conversar sobre os conselhos de vida que a gente vai recebendo ao longo dos anos. Desde o tempo de criança até a velhice, a gente recebe conselhos, e a vida vai ensinando como viver.

Após cada pergunta deixar que as pessoas exponham a sua opinião

LEITOR 1: Olhando para trás na sua vida, qual o melhor conselho que você já recebeu e que mais marcou a sua vida? E quem lhe deu este conselho?

LEITOR 2: A TV dá conselhos, os pais dão conselhos, os padres e pastores dão conselhos, na escola na rua recebemos conselhos. Todos estes conselhos são bons? Como você faz para discernir?

Iluminar nossa realidade com a Luz da Palavra de Deus

LEITOR 3: Vamos agora ouvir o texto do livro da Sabedoria, em que o autor, sob o pseudônimo do rei Salomão, dá um bonito testemunho de vida de como ele vive a sabedoria. Um testemunho assim serve de conselho para os que o escutam.

UMA MULHER PROCLAMA a Leitura lenta e atenta do texto: Sabedoria 7,1-14.  Após a leitura segue um momento de silêncio. Depois começam as perguntas abaixo. A cada pergunta deixar que algumas pessoas respondam

Vamos descobrir juntos a mensagem do texto para nós:

LEITOR 1: O que mais chamou atenção no texto? Por quê?

LEITOR 2: Segundo o texto, quais os critérios que orientam a vida de uma pessoa sábia?

LEITOR 3: Quais os traços do rosto de Deus que transparecem neste texto?

ANIMADOR: Vamos ver agora a Chave de leitura para o texto que lemos (Sabedoria 7,1-14). O texto tem duas chaves. A primeira é aquela em que o autor se apresenta como o rei Salomão, que era considerado o modelo do sábio. A segunda é a afirmação de que a sabedoria é um dom divino, fruto de oração. Deve ser pedida a Deus.

Divisão do texto

LEITOR 3: Os versículos 1 e 2 narram que   Salomão não se exalta por ser rei, mas se faz igual a todo ser humano. Esta igualdade a todo ser humano é mostrada nos versículos 3 a 5 que contam que Salomão nasceu, chorou, foi criado sem nenhuma diferença das outras pessoas.

LEITOR 1: O versículo 6 tem uma afirmação central: a entrada e a saída da vida são iguais para todos. Como todo ser humano deve fazer (versículo 7) Salomão rezou e recebeu o dom da sabedoria.

LEITOR 2: Salomão sabe que a Sabedoria supera tudo e, conforme os versículos 8 a 10 a Sabedoria é luz que não se apaga. É pela sabedoria que muitos outros bens são adquiridos por Salomão (vv 11-12).

LEITOR 3: A Sabedoria também ensinou a Salomão que, sem malícia ou inveja, ele aprendeu a partilhar o que recebeu da graça divina (v. 13). E conclui esta reflexão no versículo 14 afirmando que a sabedoria é o tesouro inesgotável que traz instrução e atrai a amizade de Deus.

Resumo do texto

ANIMADOR: O autor do texto se apresenta como o rei Salomão, que era considerado o modelo por excelência da sabedoria. E é como rei que ele da este testemunho tão bonito de verdadeira sabedoria.

TODOS: O que chama a atenção no testemunho é a sua humanidade. Mesmo sendo rei, ele não se exalta, mas se coloca no chão, no real da vida, igual a todo ser humano. Não se considera superior. Pelo contrário, ele diz: “Também sou mortal como todos os outros” (Sb 7,1).

LEITOR 1: E ele enumera em que consiste a sua igualdade com todo ser humano dizendo que:

TODOS: Foi formado no seio da mãe, nasceu chorando, respira o ar comum, foi envolto em fraldas, cercado de cuidados (cf. 7,2-5). “A entrada e a saída da vida é igual para todos” (Sb 7,6).

2º TEMA: O rosto divino da Sabedoria (7, 22 até 8, 1) 

ANIMADOR: Agora vamos refletir o segundo tema que é o rosto divino da sabedoria entre nós. O texto da Bíblia que vamos meditar neste momento descreve, com palavras bem escolhidas, a sabedoria que vem de Deus e tenta enumerar os sinais que revelam a presença da sabedoria divina no meio de nós.

Após cada pergunta, deixar pessoas expressarem suas opiniões.

LEITOR 2: Qual é para você o lugar ou o momento em que mais se revelou a sabedoria de Deus na sua vida? Conte para nós…

LEITOR 3: Quais as palavras que você usa para descrever a ação do Espírito de Deus em sua vida?

Iluminar a nossa realidade com luz da Palavra de Deus

LEITOR 1: Vamos ouvir o texto do livro da Sabedoria que descreve a natureza da Sabedoria Divina. Durante a leitura, vamos ficar atentos ao ponto que mais  chama a nossa atenção.

UM JOVEM PROCLAMA a Leitura lenta e atenta do texto: Sabedoria 7, 22 até 8, 1. Após a leitura Momento de silêncio.

Descobrir juntos a mensagem do texto para nós hoje:

Após cada pergunta as pessoas podem expressar-se

LEITOR 2: O que mais chamou a sua atenção no texto? Por quê?

LEITOR 3: O texto usa mais de vinte palavras diferentes para descrever a sabedoria divina. Qual destas palavras mais lhe toca o coração? Por quê?

LEITOR 1: Qual a mensagem deste texto para nós hoje?

   Chave de leitura para o texto: Sabedoria 7, 22 até 8, 1

ANIMADOR: O texto que ouvimos tem duas chaves gerais. A primeira é que há mais de vinte adjetivos diferentes para descrever o indescritível narrado nos versículos proclamados. A segunda chave é a indicação de que o dom da sabedoria é fruto da oração: vem de Deus e leva os que o recebem para Deus.

Divisão do texto

ANIMADOR: Os versículos 22 e 23 descrevem a natureza do espírito da sabedoria que penetra tudo, pode tudo, abrange tudo. A Sabedoria, segundo o versículo 24, é mais ágil que qualquer outro movimento, por causa da sua pureza. Ela é (vv. 25 e 26) uma exaltação do poder de Deus, reflexo da luz eterna, imagem de Deus.

TODOS: A sabedoria é sempre a mesma, mas renova tudo e forma os amigos e santos de Deus (v.27).  Deus ama a todos os que abraçam e convivem com a sabedoria (v.28).

LEITOR 1: Conforme afirmam os versículos  29 e 30, comparada com o sol e a luz do dia, a sabedoria supera e ultrapassa todas estas luzes.

TODOS: A sabedoria se estende de um extremo ao outro do universo, governando tudo (8,1).

Resumo do texto

ANIMADOR: Vamos fazer um passeio geral pelo texto que ouvimos.

HOMENS: O texto é uma descrição consciente e limitada do indescritível. Faz perceber que a sabedoria divina não cabe em nenhuma definição e ultrapassa qualquer comparação.

TODOS: Esta maneira de descrever o mistério da sabedoria divina revela as limitações da inteligência humana e nos faz cair em adoração contemplativa! Aquelas mais de vinte palavras tão bem escolhidas apenas servem para revelar que o mistério de Deus é maior.

MULHERES: O texto usa comparações belíssimas para nos fazer sentir que a sabedoria divina ultrapassa tudo: mais ágil que qualquer movimento (Sb 7, 24); atravessa tudo e penetra tudo (Sb 7, 24); é sempre a mesma, mas renova tudo (Sb 7, 27);

TODOS: A sabedoria é mais bela que o sol e supera as constelações dos astros (Sb 7, 29); é uma exalação do poder de Deus, emanação puríssima do Onipotente (Sb 7, 25); reflexo da luz eterna (Sb 7, 26).

ANIMADOR: Esta sabedoria entra nas almas santas, forma os amigos de Deus e os profetas que proclamam a Sua Palavra (Sb 7, 27).

TODOS: Deus ama os que convivem com esta sabedoria (Sb 7, 28). Contra a sabedoria que vem de Deus, o mal não prevalece (Sb 7, 30). A Sabedoria se estende de um extremo a outro do universo e governa tudo retamente ( Sb 8, 1).

ANIMADOR: Terminamos este encontro fazendo 3 ou 4 preces espontâneas, depois a oração do Pai Nosso e a proclamação do Salmo 131(130) e por fim a oração na página 06

TODOS: Pai nosso….

TODOS: SENHOR, o meu coração não é orgulhoso, nem os meus olhos são altivos; não corro atrás de grandezas ou de coisas superiores a mim. 2*Pelo contrário, estou sossegado e tranquilo, como criança saciada ao colo da mãe; a minha alma é como uma criança saciada! Israel, espera no Senhor, desde agora e para sempre!

Oração final para todos os dias

 

4º Circulo   A sabedoria conduz a história do povo de Deus (Sabedoria 10, 1 – 21)

ACOLHIDA

Preparar o ambiente com a colcha de retalho e nela colocar a Bíblia, vela acesa e alguns símbolos da sabedoria do povo. Invocar a Luz do Espírito Santo.

ORAÇÃO INICIAL PARA TODOS OS DIAS

ANIMADOR: O texto da Bíblia que vamos meditar hoje descreve como a Sabedoria Divina orientou e conduziu a história do povo de Deus.

Após cada pergunta deixar que as pessoas exponham a sua opinião

LEITOR 1: De que maneira você percebe a presença de Deus na sua história pessoal e na história da sua família?

LEITOR 2: Olhe para a história do Brasil. Quais os momentos da nossa história em que transparece a ação de Deus?

Julgar

    Iluminar a nossa história com a luz da Palavra de Deus

LEITOR 2: Vamos ouvir o texto do livro Sabedoria, no qual transparece como, antes de nós, a Sabedoria de Deus conduzia o seu povo. O texto evoca os fatos conhecidos do passado, mas não menciona os nomes das pessoas envolvidas. Ele supõe que a gente conheça estas pessoas e saiba o nome delas.

UMA MULHER PROCLAMA a Leitura lenta e atenta do texto: Sabedoria 10, 1 – 21. *Momento de silêncio.

Descobrir juntos a mensagem do texto para nós

Após cada pergunta pessoas podem expressar a opinião

LEITOR 3: Por que será que o autor não cita nenhum nome das pessoas envolvidas nos fatos da história? Você consegue descobrir quais os nomes destas pessoas?

LEITOR 1: Que fatos ou pessoas mais marcaram a sua vida?

Chave de leitura para o texto: Sabedoria 10, 1 – 21

ANIMADOR: O texto que acabamos de ouvir tem duas chaves de leitura gerais para compreendê-lo. A primeira é a apresentação de como a sabedoria divina conduziu a história, desde a criação do primeiro homem até a travessia do Mar Vermelho. A segunda chave é a forma como o texto percorre a história aludindo (apontando) fatos, mas sem nomear as pessoas.

Divisão e sequência do pensamento:

LEITOR 1: Rapidamente podemos apresentar a divisão do texto da seguinte forma:

MULHERES: Os versículos 1 e 2 falam da Criação.

TODOS: O versículo 3 lembra o primeiro assassinato.

HOMENS: O quarto versículo cita o Dilúvio e o quinto diz da Torre de Babel e a vocação que deu origem ao povo de Deus.

MULHERES: A Destruição de Sodoma e Gomorra está no sexto versículo. Depois o sétimo e o oitavo vão falar da Terra seca e queimada e a estátua de sal. E dos versículos nove a doze há a narrativa das brigas entre dois irmãos.

TODOS: O Livro da Sabedoria não se esquece da História de um justo no Egito nos versículos 13 a 14.

ANIMADOR: Depois nos versículos 15 a 21 há a lembrança da opressão do povo no Egito e as pragas enviadas para convencer os egípcios a libertá-los. Fala em seguida da saída da terra de Faraó e a travessia do mar vermelho e quando as águas se fecham matando os perseguidores do povo de Deus. Enfim o cântico de vitória, cantado pelos pequenos.

Resumo do texto

LEITOR 3:  Este texto do livro da Sabedoria descreve a ação da sabedoria divina na história do povo de Deus, desde a criação (Sb 10, 1) até o canto de vitória na travessia do Mar Vermelho (Sb 10, 21). A maneira de descrever os fatos é misteriosa. Ela faz o que diz o nosso provérbio: “Para o bom entendedor, meia palavra basta”. Descreve os fatos sugerindo e evocando, lembrando e aludindo. Ele nos oferece uma nova chave para ler e entender a ação de Deus. Ajuda a ver uma dimensão que a olho nu não se pode ver. Parece um raio-X que revela uma dimensão presente nestes fatos que só a fé consegue descobrir e enxergar.

TODOS: E enquanto descreve assim a história, o texto extrai mensagens para a nossa vida. É importante lembrar que a nossa vida também contempla aquilo que existiu dentro dos fatos narrados: Deus continua a nos libertar e comunicar força (Sb 10, 1-2); Deus nos conserva sem mancha e nos mantém forte (Sb 10, 5); A ação divina ainda nos liberta dos sofrimentos (Sb 10, 9); A sabedoria divina guia o justo e revela as coisas santas (Sb 10, 10); Deus multiplica os frutos do nosso trabalho e nos protege contra a cobiça (Sb 10, 10-11). Numa palavra, a sabedoria abre a boca daqueles que a sociedade nega a voz, soltando a língua dos excluídos, dos pobres, dos pequeninos (Sb 10, 21).

ANIMADOR: Terminamos este encontro fazendo 3 ou 4 preces espontâneas, depois a oração do Pai Nosso e a proclamação do Salmo 131(130) e por fim a oração na página 06

TODOS: Pai nosso….

TODOS: SENHOR, o meu coração não é orgulhoso, nem os meus olhos são altivos; não corro atrás de grandezas ou de coisas superiores a mim. 2*Pelo contrário, estou sossegado e tranquilo, como criança saciada ao colo da mãe; a minha alma é como uma criança saciada! Israel, espera no Senhor, desde agora e para sempre!

Oração final para todos os dias

 

Celebração Final    Leitura Orante

A Sabedoria em defesa da Boa Nova de Deus  contra os falsos ídolos   

Sabedoria 13, 10 até 14, 4

 Preparar o ambiente com a colcha de retalho e nela a Bíblia, vela acesa e algum símbolo da sabedoria do povo. Invocar a luz do Espírito Santo.

 

Oração inicial para todos os dias  e depois um Canto

Ver

ANIMADOR: O texto da Bíblia que vamos ler e meditar denuncia o perigo da idolatria – um perigo muito atual. Vamos conversar sobre os ídolos que hoje são divulgados pelos meios de comunicação e que são adorados pelo povo.

Após cada pergunta deixar pessoas darem respostas

LEITOR 1: Quais são hoje os grandes ídolos, aclamados e festejados pelo povo, que podem desviar a pessoa do caminho de Deus?

LEITOR 2: E eu, onde coloco a minha confiança?

Julgar: Iluminar a nossa realidade com a luz da Palavra de Deus

LEITOR 1: Ouçamos do livro Sabedoria como os ídolos daquele tempo ameaçavam desviar o povo do caminho de Deus.

O LEITOR 2 PROCLAMA a Leitura lenta e atenta do texto:

Sabedoria 13, 10 até 14, 4. Após  a leitura  *Momento de silêncio.

*Descobrir juntos a mensagem do texto para nós hoje:

LEITOR 3: – O que mais chamou a sua atenção no texto? Por quê?

LEITOR  1 – Como o texto descreve a estupidez da idolatria?

LEITOR 2: Esta  estupidez existe ainda? Como você a descreveria?

 Agir

    Chave de leitura para o texto: Sabedoria 13, 10 até 14, 4

ANIMADOR: Há duas chaves gerais do texto que ouvimos. A primeira chave é a afirmação do Infeliz que coloca sua esperança nos ídolos que são coisas mortas. A segunda chave é a parte que traz um exemplo, cheio de ironia, do absurdo e da estupidez da idolatria.

UM ESCLARECIMENTO NECESSÁRIO

LEITOR 1 – Antes de continuar a falar sobre a idolatria no livro da Sabedoria convém esclarecer o que é de fato idolatria. São Paulo, na carta aos Colossenses 3, 5 afirma que a idolatria é a cobiça.

LEITOR 2: No livro da Sabedoria, a idolatria (fabricação dos ídolos) é usada para manipular os deuses e obter deles vantagens financeiras.

LEITOR 3: Também se faziam imagens de pessoas vivas, como o Faraó, afirmando que eram deuses que o povo deveria adorar e, portanto, obedecer cegamente. Era assim que o pobre era explorado ao máximo.

ANIMADOR: Mas, afinal, a Bíblia de fato condena todas as imagens? Eis  resposta:

LEITOR 1– A Bíblia apresenta, muitas vezes, o mistério de Deus através de imagens: e a primeira imagem quem a fez foi o próprio Deus, ao criar o ser humano à sua imagem e semelhança (Gênesis 1,27;2,7). O mesmo Deus manda Moisés fazer dois querubins de ouro e colocá-los por cima da Arca da Aliança (Êxodo 25,18-20). Manda Salomão enfeitar o templo de Jerusalém com imagens de querubins, palmas, flores, bois e leões (1Reis 6,23-25 e 7,29).

LEITOR 2: O Novo Testamento também apresenta o mistério de Deus através de imagens: a imagem de Jesus como cordeiro digno de receber a força e o louvor (Apocalipse 5,12). Quando do batismo de Jesus, o Espírito Santo é apresentado em forma de pomba (Mateus 3,16) e, no dia de Pentecostes, com línguas de fogo (Atos 2,1-3).

TODOS: Jesus ensinava através de imagens: “Eu sou o bom pastor” (João 10,14). Os primeiros cristãos vão representar Jesus desenhando um Bom Pastor com a ovelha nos ombros. Olhando esta imagem, eles não adoravam um pastor, mas pensavam na ternura de Deus que, em Jesus, busca a ovelha perdida.

ANIMADOR: Representar algo por imagem ou símbolo era comum na Igreja primitiva, sobretudo em tempos de perseguição. Por muito tempo, as pinturas dos santos e de cenas bíblicas nas Igrejas foram o único livro que os cristãos mais simples puderam ler e entender.

TODOS: A Bíblia, então, não proíbe as imagens?

ANIMADOR: Sim, proíbe quando sua finalidade é servir à idolatria: “Eu sou o Senhor teu Deus, que te fez sair do Egito, da casa da escuridão. Não terás outros deuses diante de minha face. Não farás para ti escultura alguma do que está em cima dos céus, ou abaixo sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles e não lhes prestarás culto” (Êxodo 20,2-5). Em várias passagens bíblicas se repete esta proibição de não adorar outros deuses e nem fazer deuses fundidos (Êxodo 34,14-17; Deuteronômio 7,5).

LEITOR 1– Podemos perceber que “ídolo” designa imagem feita para ser adorada como deus, como faziam os pagãos com suas divindades. Para os judeus, as imagens dos deuses são os próprios deuses pagãos. Os povos vizinhos dos judeus acreditavam em muitos deuses e faziam imagens deles. Geralmente, estes deuses, criados pelo próprio homem, serviam de apoio ao sistema injusto e cruel que maltratava o povo, em especial os pobres.

LEITOR 2: Em Israel não se podia fazer imagem de Deus, não se podia imaginar como Deus era, pois Ele é invisível e ninguém nunca o tinha visto. Do Deus verdadeiro não se faz imagens, porque todas as imagens são inadequadas para Javé. Dos falsos deuses se faziam imagens que eram chamadas de ídolos que eram rivais de Javé.

TODOS: Idolatria é a exclusão do Deus verdadeiro, substituindo-o por um falso deus.

ANIMADOR: No livro da Sabedoria, o ídolo estava sempre ligado a um sistema de corrupção e opressão, levando a sociedade à divisão e à guerra por causa da ganância pela terra, bens materiais e dinheiro, fama, prazer e poder. Estes, sim, são os verdadeiros ídolos que afastam a pessoa do Deus verdadeiro, competindo com Ele no coração (cf. Mateus 4,1-10; Lucas 4,1-12). As imagens que a Igreja usa hoje dos Santos faz parte de outra forma da linguagem humana (imagem) que representam pessoas, coisas (cruz, cálice, etc.) ou ideias daqueles que seguem ao Deus verdadeiro.

LEITOR 2: A Bíblia fala de imagens algumas vezes para denunciar a idolatria, outras vezes para mostrar o quanto a imagem é necessária para entendermos, por meio do Filho, o próprio Pai: “Ele (Jesus) é a imagem do Deus invisível…” (Colossenses 1,15).

ANIMADOR: Os primeiros cristãos, martirizados aos milhares porque se recusaram a adorar imagens de deuses falsos, estudaram a Bíblia com atenção. Eles não tiravam esses textos que proíbem imagens de seu contexto. Comparando-os com outros textos bíblicos, ficaram convencidos de que Deus proíbe imagens de deuses falsos, adoração de ídolos que representem falsos valores, os quais induzem ao pecado.

LEITOR 3:  É o que faziam os povos vizinhos de Israel. Mas Deus não proíbe fazer outras imagens que contribuem para exaltar sua glória e poder. O II Concilio de Nicéia, no ano 787, defende a veneração das imagens (pintura e escultura) de santos pelos cristãos e o uso de símbolos nas celebrações litúrgicas. O mesmo fez o Concilio Vaticano II, mantendo o culto às imagens conforme a tradição (LG 67), contanto que seja em número comedido e na ordem devida (SC 125).

ANIMADOR: Agora que fizemos este esclarecimento, podemos olhar o livro da Sabedoria com mais carinho.

Divisão do texto

LEITOR 1: No versículo 10 há a afirmação inicial: infeliz quem confia em coisas mortas e as invoca. O carpinteiro, que fabrica os ídolos, trabalha a madeira e reserva o melhor para o seu uso pessoal, diz os versículos 11 e 12.

LEITOR 2: Afirmam os versículos 13 e 14 que da sobra da madeira, que não serve para mais nada, ele faz um ídolo. Com muito cuidado, ele enfeita o ídolo e prepara um nicho para ele (vv 15 e 16).

LEITOR 3: Já do capítulo 13, versículo 17 até o capítulo 14 versículo 2 narra as várias intenções pelas quais o carpinteiro reza ao ídolo.

TODOS: Nós, cristãos católicos acreditamos na grande conclusão que nos apresenta o capítulo 14, versículos 3 e 4 do Livro da Sabedoria que diz:  feliz quem confia na Providência de Deus Pai.

Resumo do texto

LEITOR 3: Nesta maneira de o autor descrever e denunciar a estupidez da idolatria transparece um dos pontos altos da mensagem do livro da Sabedoria. Transparece também a criatividade poética do autor. Veja a fina ironia com que descreve a fabricação dos ídolos. Ele diz que um carpinteiro trabalha a madeira e faz um móvel, útil para as necessidades da sua vida. Usa as sobras para preparar comida.

LEITOR 3: LEITOR 2 – Aí ele diz: “Da sobra de tudo, que não serve para mais nada, madeira retorcida e cheia de nós, ele a pega e a esculpe nos momentos de lazer. Para se distrair, modela a madeira com capricho, e lhe dá o formato de um homem, ou então a forma de algum animal desprezível. Depois pinta o ídolo de vermelho e cobre de massa todos os seus defeitos.

LEITOR 1: A seguir, prepara-lhe um nicho digno dele, e o coloca na parede, prendendo-o com um prego. Toma esses cuidados para que não caia, sabendo que o ídolo não pode cuidar de si mesmo: é apenas uma imagem, e precisa de ajuda. Entretanto, logo em seguida, lhe dirige “orações por seus bens, casamento e filhos, sem se envergonhar de ficar falando com uma coisa sem vida” (Sb 13, 13-17).

TODOS: Depois enumera as várias intenções e necessidades pelas quais o carpinteiro dirige suas preces ao ídolo: saúde, vida, ajuda, viagens pelas águas ou estradas para negócios e empreendimentos (Sb 13, 17-14, 2). E termina: “Mas é a tua providência, ó Pai, que o pilota, pois também no mar abriste um caminho, uma rota segura entre as ondas. Isso fizeste para mostrar que tu podes salvar de tudo”. (Sb 14,3).

Aprofundar a oração na nossa vida

ANIMADOR: Vamos aprofundar tudo o que escutamos através de perguntas. Depois da leitura de cada uma, algumas pessoas podem responder.

LEITOR 1: Qual a experiência de Deus que transparece no texto?

LEITOR 2: O apóstolo Paulo diz que “Jesus é a Sabedoria de Deus”  (1 Cor 1,30). Como esta leitura que ouvimos nos fala de Jesus, Sabedoria de Deus?

LEITOR 3: De tudo que vimos, analisamos e meditamos nestes Círculos Bíblicos sobre a Sabedoria de Deus em defesa da vida, qual o ponto que vou levar para a minha vida?

Conclusão

  1. Encerrar tudo com uma frase/resumo e com um compromisso comum.
  2. Expressar o compromisso na solene oração do Pai Nosso.
  3. Canto final.