MÍSTICA DA AÇÃO MISSIONÁRIA

ESSÊNCIA DA AÇÃO MISSIONÁRIA

O missionário é uma pessoa com convicções profundas, que surgem da mística e espiritualidade cristãs.

“Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos… E qual é aquele que vos fará mal, se fordes zelosos do bem?… se padecerdes por amor da justiça, sois bem-aventurados. E não temais com medo deles, nem vos turbeis;. …e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós, Porque melhor é que padeçais fazendo bem (se a vontade de Deus assim o quer), do que fazendo mal” (1Pedro 3, 12-15.17).  O missionário sonha os mesmos sonhos de Jesus Cristo: “Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim. Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste; porque tu me amaste antes da fundação do mundo” (Jo 17, 21-26). A mística é como as raízes de uma planta: não aparecem mas, sem as raízes a árvore morre :“Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros. Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. (Jo 15,5.16-18) A espiritualidade, alimentada pela mística, marca o estilo de viver dos seguidores de Jesus: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. (Filipenses 2, 4-8)

MÍSTICA MISSIONÁRIA

O missionário não busca a glória pessoal, mas cumpre a missão confiada por Jesus: “Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!” (1Coríntios 9,16).

Só pode viver a mística missionária cristã quem não esquece o primeiro amor, o momento fundante da fé: “Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e não são, e tu os achaste mentirosos. E sofreste, e tens paciência; e trabalhaste pelo meu nome, e não te cansaste. Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor”.(Apocalipse 2, 2-4). É a partir da experiência profunda com a Boa Nova que se pode falar do que se sentiu : “O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida. Porque a vida foi manifestada, e nós a vimos, e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e nos foi manifestada. O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo”. (1João 1, 1-4).

ESPIRITUALIDADE MISSIONÁRIA

Crer que a Palavra de Jesus liberta é o ponto de partida da espiritualidade missionária “Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8, 31-32). Alegrar-se com a missão, mesmo diante dos obstáculos, é atitude essencial do verdadeiro missionário: Naquela mesma hora se alegrou Jesus no Espírito Santo, e disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que escondeste estas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste às criancinhas; assim é, ó Pai, porque assim te aprouve. (Lucas 10,21) Aceitar que a missão envolve a cruz, o conflito e a perseguição: “E logo nas sinagogas pregava a Cristo, que este é o Filho de Deus. E todos os que o ouviam estavam atônitos, e diziam: Não é este o que em Jerusalém perseguia os que invocavam este nome, e para isso veio aqui, para os levar presos aos principais dos sacerdotes? Saulo, porém, se esforçava muito mais, e confundia os judeus que habitavam em Damasco, provando que aquele era o Cristo… os judeus tomaram conselho entre si para o matar”.(Atos 9,20-23)

O MISSIONÁRIO ANUNCIA A GRATUIDADE DA TRINDADE

É a partir da vida da Trindade, baseada no amor, que a graça transborda e se torna missão: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (Jo 3,16). Pela força do Espírito Santo, o desejo do Pai, realizado no Filho, é concedido a todo ser humano: Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós. E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. (João 20, 21-22).

Anúncios